A UERJ, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, tem 67 anos de história. E não é uma história qualquer. Foi a primeira universidade pública a oferecer ensino noturno e implantar política de cotas, ações pioneiras para ampliar o acesso ao ensino superior seguidas mais tarde por universidades de todo o país.

Não faltam números para exemplificar a importância desta instituição. São mais de 30 mil alunos entre os cursos presenciais e à distância, a UERJ está presente em cerca de 30 municípios do Estado, tem ações em várias áreas como na saúde, com o Hospital Pedro Ernesto, com capacidade para 500 leitos e atendimento em mais de 60 especialidades.

A UERJ é um patrimônio ameaçado pelo descaso do Governo do Estado. Verbas não são repassadas, salários estão atrasados, bolsas de estudo não são pagas, o bandejão deixou de funcionar, mais de 500 funcionários de empresas terceirizadas foram demitidos, nem as aulas do segundo semestre do ano passado foram concluídas.

O Governo Pezão e sua base de sustentação na Assembleia Legislativa ao contrário do que era de se esperar, empenham esforços não na busca por solução para garantir recursos, mas pressionar a instituição com corte de salários dos professores e agora com a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Na avaliação do Deputado Estadual Gilberto Palmares (PT) medidas que parecem desconsiderar a realidade, “O corte de salários alegando que os professores estão em greve não tem cabimento. A universidade está parada por falta de condições de funcionamento e não por greve. Uma CPI deve apurar os desmandos do Governo do Estado, a irresponsabilidade que nos levou a este caos. Obviamente, o objetivo é desviar o foco da responsabilidade pela crise no estado. Não há possibilidade de se pensar a recuperação do Estado do Rio de Janeiro sem se pensar a recuperação da UERJ.” afirma.

Diante de tanto descaso, os estudantes lançaram a campanha ‘A UERJ vale à pena’ para mobilizar novos alunos e evitar que eles desistam de cursar a universidade. “Nós estamos aqui diariamente, defendendo esta que é uma das melhores universidades do país. Não vamos desistir. Não vão nos vencer. A UERJ, de fato, vale à pena”, defende o Coordenador Geral do DCE da UERJ, George Torno.